Blog

Instagram 
Facebook https://www.youtube.com/coracaoadorador https://twitter.com/CorAdorador

Papa destaca a eficácia da música e do canto na missão evangelizadora

postado em 19 de nov. de 2018 08:51 por Fernando Lopes, CA   [ 19 de nov. de 2018 09:33 atualizado‎(s)‎ ]

Vaticano, 12 Nov. 18 / 10:05 am (ACI).

O Papa Francisco destacou a música e o canto como ferramentas eficazes para a evangelização no mundo contemporâneo capazes de "transmitir, de maneira universal, a beleza e a força do amor cristão".

Francisco se expressou assim durante a audiência que ofereceu no Vaticano aos membros da associação italiana "Gli Alunni del Cielo" ( "Alunos do Céu") por ocasião dos 50 anos da sua fundação e do décimo aniversário da morte do fundador, Pe. Giuseppe Arione.

Os "Alunos do Céu" são um grupo de jovens que, desde 1968, anunciam o Evangelho através da música e do canto. Por isso, viajam por toda a Itália e grande parte da Europa oferecendo concertos e outras atividades de apostolado.

O Pontífice resumiu o importante trabalho desta Associação ao longo de sua história, desde que Padre Arione a fundou: "A sua missão se realiza nas pegadas do carisma e do testemunho do Padre Arione. Ao seguir as orientações do Concílio Vaticano II, por uma Igreja em diálogo com o mundo contemporâneo, o fundador opôs-se, em 1968, à atitude de protestos com o acolhimento”.

Padre Arione “se dedicou a uma forma de apostolado utilizando a música e o canto como linguagem capaz de transmitir, de maneira universal, a beleza e a força do amor cristão. Ele passava pelos ‘cruzamentos das ruas’, até em lugares antes inexplorados pela Igreja, para se encontrar com os adolescentes e jovens”.


“A todos, sem distinção, dirigia-se, com empatia e benevolência, propondo um caminho de fé e fraternidade, cuja finalidade era evangelizar com a música e cantar o amor de Deus, gerando amizade e partilha fraterna”.

Francisco encorajou os presentes a "levar adiante o carisma deste generoso jesuíta, renovando-o nas suas formas, mas preservando a sua inspiração profética, válida e atual”.

Para isso, “é preciso cuidar da vida interior, sem deixá-la ‘roubar’ pelo barulho mundano, mas cultivá-la por meio da oração pessoal e comunitária, ouvindo a Palavra de Deus, participando dos Sacramentos e, sobretudo, da Confissão e da Eucaristia”.

Deste modo, “suas vozes e suas músicas não só agradarão ao bom gosto musical, mas serão enriquecidas pelo seu testemunho de vida cristã, promovendo nas pessoas que as escutam o desejo de comunhão com Deus, como arautos do Evangelho”.

 Também insistiu que a sua missão "está enraizada na tradição das Sagradas Escrituras, especialmente nos Salmos, que convidam a celebrar o Senhor com a harpa, a cantar e louvar ao Senhor com cordas e flautas".

"Cantar bem requer esforço e boa vontade, mas é um esforço gratificante, pois eleva o espírito, tornando-a mais sensível à voz do Espírito, especialmente quando seus cantos acompanham as celebrações litúrgicas, oferecendo aos fiéis a maior proximidade e uma intimidade mais fiel profunda com Deus".

Deste modo, "vocês expressam a alegria, a confiança, o arrependimento e o amor... O canto é uma linguagem que leva à comunhão dos corações; agradeço-os especialmente, porque, cruzando todas as fronteiras, transmitam uma mensagem de paz e fraternidade".

Explicou que "no coral você sente a alegria e o encanto da polifonia. Exorto-os a serem ‘polifónicos’, inclusive no dia a dia, tanto entre vocês como com os outros".

Em primeiro lugar, "levem em consideração que, ainda mais do que pela beleza dos seus cantos, os reconhecerão como discípulos e testemunhas de Cristo se os amais uns aos outros como Ele nos amou".

"Este – concluiu o Papa – é o modo de vocês serem uma Igreja missionária, capaz de contagiar e atrair aqueles que esperam, talvez sem saber, um encontro com Jesus".

Fonte: www.acidigital.com

Kairós Renova-Me! 2015‬ - Inscrições abertas!

postado em 25 de set. de 2015 10:53 por Fernando Lopes, CA   [ atualizado em 18 de dez. de 2018 14:56 por Coração Adorador Ministério Católico ]


As inscrições do "Kairós Renova-Me!" 2015 estarão abertas até dia 11/10/2015. Mas corra! As vagas são limitadas!
- Valor do investimento: R$ 22,00 + 1kg de alimento não perecível (a ser entregue no dia 25/10 como gesto concreto. Arrecadação será doada a instituição de recuperação de dependentes químicos).
- Locais de inscrições: Paróquia Nossa Senhora da Paz - Serrinha, Paróquia São Bras - Pedregoso , Sagrada Família - Mendanha e Nossa Senhora da Conceição - Guandu.


Igrejas de portas fechadas são museus, alerta Papa Francisco

postado em 24 de set. de 2015 15:56 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:04 por Fernando Lopes, CA ]

Na Catequese do dia 9 de setembro de 2015, Francisco destacou a necessidade de reavivar a aliança entre a família e a comunidade cristã

Da redação, com Rádio Vaticano

catequese

Em sua reflexão, o Pontífice recordou que a família é o local da nossa iniciação na comunidade, na história da Igreja que caminha com o seu povo. “O próprio Jesus aprendeu a história humana percorrendo este caminho”, destacou.

Quando deixou Nazaré e começou a vida pública, Jesus formou em torno de si uma comunidade, uma “assembleia”, ou seja, uma convocação de pessoas. “Este é o significado da palavra ‘igreja’”, explicou o Papa.

Portas abertas

“Nos Evangelhos, a assembleia de Jesus recebe a forma de uma família acolhedora, não de uma seita exclusiva. Jesus não deixa de acolher e falar com todos. É uma lição forte para a Igreja!”, prosseguiu.

Por isso, o Papa considera “indispensável e urgente” reavivar esta aliança entre a família e a comunidade cristã. Para Francisco, uma Igreja realmente segundo o Evangelho só pode ter a forma de uma casa acolhedora, sempre com as portas abertas.

“As Igrejas e as instituições com as portas fechadas não devem se chamar igrejas, mas museus!”, expressou o Papa, que definiu esta aliança “crucial” contra os centros de poder ideológicos, financeiros e políticos. Pelo contrário, as comunidades devem se tornar “centro de amor”, centros evangelizadores repletos de calor humano.

Fé generosa

Para isso, é necessário uma fé generosa para reencontrar a inteligência e a coragem de renovar esta aliança. “As famílias às vezes hesitam”, constatou Francisco, dizendo que não estão à altura devido a fraturas, incapacidades, problemas ou desânimo.

“É verdade. Mas ninguém é digno, ninguém está à altura, ninguém tem forças! Sem a graça de Deus, não poderíamos nada. Tudo nos é dado gratuitamente. Se nos colocarmos em suas mãos, Ele nos faz realizar milagres.”

Naturalmente, continuou o Papa, também a comunidade cristã tem que fazer a sua parte. Por exemplo, tentando superar atitudes demasiado funcionais, favorecendo o diálogo interpessoal, o conhecimento e a estima recíproca.

“As famílias têm que tomar a iniciativa e se sentirem responsáveis de oferecer seus preciosos dons à comunidade. A família e a paróquia devem realizar o milagre de uma vida mais comunitária para toda a sociedade.”

Ao saudar os grupos presentes na Praça, o Papa citou os brasileiros provenientes de Santo André e de São Caetano do Sul.

Fonte: cancaonova.com

10 coisas surpreendentes que acontecem quando você faz Adoração com frequência

postado em 22 de jul. de 2015 06:41 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:04 por Fernando Lopes, CA ]

 

A Eucaristia é descrita no Catecismo como fonte e ápice da nossa fé. Encontrar tempo para fazer Adoração Eucarística pode ser difícil, mas, se você conseguir, poderá perceber resultados surpreendentes!

 "Enquanto comiam, Jesus tomou o pão, pronunciou a bênção, o partiu e deu a eles, dizendo: Tomai, isto é o meu corpo. Em seguida, tomou o cálice, deu graças, o entregou a eles e todos beberam. E Ele disse: Isto é o meu sangue, o sangue da aliança derramado por muitos" (Marcos 14, 22-24).

© A&A Photography / Flickr

Na cultura de hoje, a ideia de progresso interior é drasticamente desvalorizada como “desperdício de tempo” ou “coisa dos antigos e ​​ingênuos”. Só o progresso exterior parece palpável. Mas o progresso material permanece fora de nós: ele até nos oferece alguns sentimentos positivos, mas é sempre efêmero e sem substância. Já o progresso interior significa que você está se transformando e tornando-se melhor!

O tempo que você dedica à Adoração pode surpreendê-lo de muitas maneiras. Veja aqui dez delas:

1. Você desenvolve um sentimento de admiração e maravilha

Não há nada como a atmosfera de uma capela ou igreja tranquila! O odor do incenso e o esplendor do ostensório ajudam a compreender a verdade do que está acontecendo na Adoração. Estamos realmente diante de Jesus Cristo! Seu Corpo, Seu Sangue, Sua Alma, Sua Divindade. Quanto mais se emerge no silêncio diante da Hóstia Santa, mais se compreende que a única resposta à grandeza de Deus é a maravilha, a admiração e o amor.

2. Você experimenta a paz em outras áreas da sua vida

Jesus disse: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou" (João 14, 27). A paz exterior que podemos experimentar na Adoração (a quietude e o silêncio) vai muito mais a fundo e nos leva a uma paz interior que abraça todas as áreas da nossa vida. Isto não significa que tudo ficará perfeito e sem sofrimento, mas essa paz nos fortalecerá para enfrentarmos com mais firmeza e serenidade as tempestades da vida.

3. Você começa a olhar mais para fora de si mesmo

Jesus nos disse: "Como eu vos amei, assim também vós amai-vos uns aos outros" (João 13, 34). A Adoração nos conecta ao próximo e ao mundo – afinal, estamos dedicando tempo ao Criador de tudo o que existe! Mais tempo para louvar e adorar a Deus significa mais tempo para ir além das nossas próprias preocupações e para enxergarmos as necessidades dos outros e do mundo em que vivemos.

4. Às vezes, você fica entediado...

Haverá momentos em que a Adoração parecerá “insossa”, “árida”... Você vai se distrair, a sua mente vai começar a divagar... A Adoração regular pode se estabilizar e deixar de parecer especial, mas isso não desvaloriza nem diminui a verdade da Adoração. Nossa fé é muito mais do que sentimentos e Deus continuará trabalhando em você mesmo que você não o “sinta” ou passe por momentos mais “secos”. Ainda que a sua mente divague, você está dando a Deus o melhor que pode: o seu tempo, o seu empenho e a sua companhia!

5. Você se emociona na Adoração!

Quanto mais tempo você dedica a adorar a Deus, mais você descobre que Ele ama você e quer passar tempo com você. E mais você começa a realmente querer viver esse tempo com Ele! Se a Adoração antes parecia rotina, aos poucos você percebe que deseja fazê-la! Como dizemos na missa, "é justo e necessário" dar graças ao Senhor! A Adoração a Deus está inscrita em nosso coração, e "o nosso coração está inquieto enquanto não repousa nele" (Santo Agostinho)!

6. A graça entra na sua vida

É incrível como um simples ato de compromisso com Deus, ainda que seja num curto período de Adoração, faz diferença para o resto da sua vida! Você pode manter a certeza de continuar na presença dele mesmo depois de ter saído da igreja ou da capela. A graça o apoia em todos os momentos, especialmente nos de tentação. Fica mais fácil resistir à tentação quando se dedica mais tempo à Adoração.

7. Você percebe o quanto é felizardo

Há pessoas que gostariam de passar mais tempo com Jesus em Adoração, mas não podem porque estão doentes ou têm mil tarefas necessárias no cotidiano. Há pessoas, em muitas regiões do mundo, que arriscam a vida pela Eucaristia e são perseguidas por causa da fé. Há pessoas que enfrentam situações extremamente perigosas para ficar com Jesus! E você tem o presente de poder adorá-lo abertamente, sem falar no fato de ter um sacerdote por perto para lhe administrar os sacramentos!

8. Você compreende que Deus tem senso de humor!

Quanto mais você permite que Deus lhe fale, em vez de gastar todo o seu tempo falando para Ele, mais você nota que Deus tem um grande senso de humor! Há até momentos em que você quer rir em voz alta! Talvez isto pareça surpreendente, mas os melhores pais e padres não demonstram o seu amor com bom humor?

9. Você vai querer se confessar mais vezes

Pode parecer intimidador, mas não é. A confissão nos permite experimentar o oceano ilimitado da misericórdia de Deus! Sua misericórdia engolfa todos os nossos pecados e nos dá uma liberdade real, uma liberdade sem medo, que nos permite entrar no seu Amor e na sua Bondade! A confissão fortalece a consciência de que estamos nos braços de um Pai que nos ama muito e que "nunca se cansa de perdoar" (Papa Francisco).

10. Você se apaixona!

Quando você dedica tempo de coração aberto a adorar a Deus e permitir que Cristo lhe mostre o Seu Amor, você também se apaixona! E o amor dele revela você a você mesmo e permite que você seja você mesmo! "Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância" (João 10, 10).

Então, o que você está esperando? Dedique um tempo à Adoração Eucarística e deixe Deus transformar a sua vida!

Fonte: http://www.aleteia.org/pt

Agradecimento - Corpus Christi 2015 - Forania 1 - Vicariato Santa Cruz - RJ

postado em 17 de jun. de 2015 10:24 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:06 por Fernando Lopes, CA ]

‪#‎AntesTardedoQueNunca‬
Nós do Coração Adorador - Ministério Católico, queremos deixar nosso agradecimento pelo convite em participar da organização, da animação e do ministério de música da Missa do Corpus Christi da Forania 1 - Vicariato Santa Cruz, especialmente na pessoa do Padre Charles Pierre da Paróquia Nossa Senhora da Paz-Serrinha, que nos fez o convite pessoalmente. 
Para nós, é motivo de grande alegria poder servir a nossa Igreja e o momento acontecido no dia 4/6/2015 foi mais que especial. 
Foram vários dias de preparação que valeram muito a pena. 
A festa estava linda!
Por fim, somos muito agradecidos ao nosso Deus, por ter nos permitido participar dessa grande festa em honra a N. S. Jesus Cristo, presente no Ssmo. Sacramento.
Que o Senhor nos de a graça de sempre estar presentes nesses momentos maravilhosos de nossa Igreja, onde podemos demonstrar a força da verdadeira Igreja de Cristo.
Em breve colocaremos as fotos aqui no site.

Pregação: Beber é pecado? - Bebida Alcoólica e Embriaguez / Alcoolismo

postado em 12 de jun. de 2015 11:03 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:08 por Fernando Lopes, CA ]


Salve Maria Imaculada, nossa Co-Redentora e Mãe!

Assista esta pregação falando sobre o tema: Beber é pecado? (Bebida Alcoólica e Embriaguez/Alcoolismo).
Boa parte das pessoas que vão a festas de Paróquias não tem uma experiência com Cristo, tendo problemas com alcoolismo, e ao chegarem nas paróquias se deparam com o objeto de seu vício. 

Beber é pecado? Essa pergunta é tão comum quanto polêmica na Igreja. Porém, muitos ao falarem de beber, esquecem-se que o "beber" para outros é chegar até a embriaguez, esta sim, pecado. Sendo assim, devemos saber que o mundo a nossa volta não é católico, mas sim pagão e desordenado. Tomemos cuidado e nos revistamos da temperança e da santa caridade.
A bebida é uma grande arma usada por satanás para escravizar os filhos de Deus nos vícios e no pecado.

“Os botecos são a tenda do demônio, a escola onde o inferno prega e ensina a sua doutrina, é o lugar onde se vende as almas, onde se perdem as fortunas, o dinheiro, onde a saúde se perde, onde começam as rixas, as brigas e onde se começam os assassinatos” 
(São João Clímaco)

“Os donos dos botecos roubam o pão das pobres esposas e de seus filhos, dando bebida a esses beberrões, que gastam no domingo aquilo que ganharam durante a semana. O demônio escarra em cima dos donos dos botecos” 
(São João Maria Vianney)

Não estamos demonizando a bebida alcoólica, porém, seria prudente não se vender em paróquias. Muitos podem estar se perdendo por isso. 

Por que não sou protestante?

postado em 1 de out. de 2014 15:22 por Fernando Lopes, CA   [ 7 de jun. de 2016 14:56 atualizado‎(s)‎ ]


É muito comum encontrar pessoas que tiveram a graça de nascer em uma família católica, mas que ainda não fizeram uma opção consciente pela sua fé, achando que tanto faz pertencer à Igreja Católica ou a qualquer outra comunidade cristã, mesmo que seja protestante. São Pedro nos exorta: “Estai sempre prontos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que a pedir” [1]. Afinal, por que somos católicos, e não protestantes?

Em primeiro lugar, é importante entender como e por que os protestantes se separaram da Igreja. O século XVI foi um período muito difícil, principalmente por conta do fenômeno do “renascimento”, que foi o retorno do paganismo à cultura da Europa. Com a tomada de Constantinopla pelos turcos otomanos, muitas pessoas que viviam no Oriente vieram para o Ocidente, levando manuscritos não só da filosofia clássica, como também da mitologia grega. Imersos nas histórias e valores da Antiguidade pagã, os homens dessa época - também os da Igreja -, experimentaram um arrefecimento na fé. O clero encontrava dificuldades para viver o celibato e era constantemente agitado por jogos de poder e preocupações políticas.

Os reformadores protestantes, como Martinho Lutero, João Calvino e Ulrich Zwinglio, vendo a triste situação em que se encontravam os homens da Igreja, quiseram empreender uma mudança, mas, no fim, acabaram mutilando a Igreja. Eles tentaram fazer uma reforma prescindindo da fé na Igreja e acabaram criando um dualismo, pelo qual aceitavam a Igreja invisível, mas rejeitavam qualquer instituição visível, que não passaria de criação humana.

É por isso que os protestantes não ficam escandalizados quando um pastor briga com outro e decide fundar outra igreja. Para eles, Jesus veio a este mundo, deixou a sua mensagem, que está na Bíblia, e todos estão entregues à sua própria interpretação das Escrituras. Se não há, como postula a doutrina do livre exame, nenhuma autoridade humana que interprete fielmente a Bíblia, então, todos se tornam autoridades legítimas para interpretá-la; cada crente é o seu próprio Magistério. Assim, a cada intérprete autorizado da Bíblia, abre-se uma nova igreja, sem nenhum escrúpulo. Para entrar em contato com a Igreja invisível - que é a única que existe -, ou eles recorrem aos carismas - como fazem os pentecostais - ou à interpretação livre das Escrituras. As “igrejas visíveis” existem tão somente para que as pessoas congreguem e se ajudem mutuamente, mas nada disso é fundado por Deus, senão pelos homens.

No fim, toda essa doutrina protestante chega a um beco sem saída. Pois, se tudo o que é visível não passa de invenção dos homens, o que dizer das Escrituras que, tendo como autor último o Espírito Santo, têm, no entanto, autores verdadeiramente humanos, de carne e osso? O que dizer das Escrituras, que foram estabelecidas como verdadeiras justamente pela autoridade da Igreja Católica, como diz Santo Agostinho: “Ego vero Evangelio non crederem, nisi me catholicae Ecclesiae commoveret auctoritas - Quanto a mim, não acreditaria no Evangelho se não me movesse a isso a autoridade da Igreja Católica” [2]? Ora, cortar da árvore do Credo a fé na Igreja é serrar o próprio galho em que se está sentado.

Para resolver o seu dilema, os protestantes acabaram se dividindo em duas correntes principais. A primeira, mais tradicional, crê que basta recorrer ao texto literal para se chegar à verdadeira interpretação da Bíblia. A experiência histórica comprova que esse método “realista” não funciona: milhares de protestantes ao redor do mundo interpretam de forma diferente as Escrituras. Para aceitar como verdadeiro o livre exame, ter-se-ia que admitir ou que Deus fala várias coisas divergentes entre si - o que não é possível - ou que todos, mesmo com opiniões contrárias, falam a verdade - o que é igualmente impossível. Por isso, o livre exame é muito difícil de se sustentar.

Alguns teólogos, principalmente a partir do século XIX, vendo a fragilidade dessa doutrina, procederam à investigação histórica e científica das Escrituras, procurando identificar as interpolações, gêneros literários e acréscimos presentes na Bíblia. Ao fazê-lo, porém, esqueceram-se do todo coerente que são as Escrituras e fragmentaram-na em um “mosaico de pequenas teologias”. Olhando de longe para uma redutiva figura de “Jesus histórico”, perderam de vista a fé no Verbo que irrompeu na história dos homens.

Enquanto eles olham para um Jesus distante e pensam que, quanto mais o tempo passa, menos precisos são seus apontamentos, nós, católicos, ao contrário, à medida que o tempo passa, temos cada vez mais certeza de nossa fé. Porque, ainda que os tempos, os lugares e os estilos mudem, uma só é a Palavra que sai da boca dos santos e doutores da Igreja: Jesus. De fato, nós cremos que a Palavra de Deus não é um livro, mas uma pessoa que “se fez carne e veio morar entre nós” [3]. Cremos também que essa realidade da Encarnação continua na Igreja, que é o Corpo Místico de Cristo [4] e o que garante a interpretação autêntica das Sagradas Escrituras.

Olhando para o organismo vivo da Igreja, para os seus Concílios e Papas, para a vida dos santos e todos os seus ensinamentos, é impossível não dirigir uma imensa ação de graças a Deus, por nos dar a graça de ser como anões no ombro de gigantes. Que alegria é ser católico e saber que não é preciso inventar um novo caminho, mas já existe um, deixado por Cristo e muito bem “pavimentado, iluminado e policiado” pelos santos da Igreja de Deus.

De fato, a verdadeira história da Igreja é feita por esses homens e mulheres que devotaram toda a sua vida à vontade de Deus. Muitos querem estudar a história eclesiástica, mas o fazem a partir das personagens corruptas e pecadoras, que foram justamente as primeiras a trair a Igreja. Ora, qualquer pessoa que se proponha a contar a história da própria família, fá-lo-á narrando os episódios de quem entregou o seu sangue por ela ou contando as histórias dos que a abandonaram? Quem se propõe a conhecer a arquitetura, começa estudando os prédios que caíram ou os que deram certo? Do mesmo modo, não se estuda a história da Igreja senão pela via dos santos e mártires, que entregaram a sua vida por ela [5].

A religião protestante, no entanto, não acredita na santidade. Eles se recusam a crer que um ser humano possa se santificar em vida ou mesmo ser invocado após a sua morte, ignorando que nada, absolutamente, pode nos separar do amor de Cristo [6].

Uma só é a Igreja de Cristo. Não existem várias, apenas uma. Enquanto os próprios protestantes assumem que as congregações a que pertencem são meras fundações humanas, nós, católicos, cremos firmemente que a Igreja Católica é de instituição divina e que nenhuma das fragilidades e dos pecados dos homens pode macular a sua santidade real, concreta e visível nos Sacramentos e na doutrina e na vida de seus santos. E cremos que esse organismo vivo existe e continuará a existir até o fim dos tempos, porque “as portas do inferno não prevalecerão contra ela” [7].

Referências

  1. 1 Pd 3, 15
  2. Contra Epistulam Manichaei quam vocant fundamenti 5. 6: PL 42, 176. Apud Catecismo da Igreja Católica, 119
  3. Jo 1, 14
  4. Cf. Jo 15, 5; At 9, 4-6; 1 Cor 12, 12-27
  5. É a esse fim que se propõe o curso de História da Igreja medieval, do nosso site. Torne-se já nosso aluno e comece a assistir às aulas.
  6. Cf. Rm 8, 35
  7. Mt 16, 18
Fonte: www.padrepauloricardo.org

Kairós Renova-me! - É neste domingo, 28/09/2014.

postado em 26 de set. de 2014 09:56 por Fernando Lopes, CA   [ 7 de jun. de 2016 14:15 atualizado‎(s)‎ ]


É com muita alegria que anunciamos este mais novo projeto, sabendo que é pela Graça de Deus que vamos avançando no campo da evangelização!
Estamos encabeçando esse projeto, em parceria com a Comunidade Católica Éfeta, Comunidade Geração Adoradores, ECC da Paróquia Sagrada Família e a Paróquia Nossa Senhora da Paz, que se chama "Kairós Renova-me!"

A moção do retiro este ano é a passagem de Colossenses 1; 9-10 (9 Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; 10 Para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus;).

"Renova-me!" é mais que um nome, é mais que um lema, é, na verdade, um pedido de socorro das almas aflitas, sedentas de Deus!

Mais um momento da Vitória de Cristo em nossas vidas, onde o protagonista entre nós será mais uma vez o Espírito Santo de Deus!

O Kairós será realizado no dia 28 de setembro de 2014. 

Se você também quer que o projeto "Kairós Renova-me!" chegue aí na sua comunidade, entre em contato conosco clicando aqui.

9.É como está escrito: Coisas que os olhos não viram,
nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou (Is 64,4),
tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam.
(1Cor - Primeira Epístola aos Coríntios)


A Resposta Católica: Fora da Igreja existe salvação?

postado em 15 de jan. de 2014 05:16 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:48 por Fernando Lopes, CA ]

Fonte: http://padrepauloricardo.org

A Resposta Católica: “Por que preciso batizar o meu filho quando criança?”

postado em 11 de dez. de 2013 08:54 por Coração Adorador Ministério Católico   [ atualizado em 7 de jun. de 2016 14:48 por Fernando Lopes, CA ]

Fonte: http://padrepauloricardo.org

1-10 of 28